Quero ser velha... mesmo que em novA

Todos nós, ao longo da vida, pensamos na morte. Ou porque perdemos alguém ou porque alguém, próximo de nós, passa por isso. A morte está sempre lá mas, de alguma forma vivemos como se nunca fossemos morrer. E ainda bem.

Quando adoeci, olhei para a morte de frente. Foi aliás a minha pergunta ao médico, no hospital - vou morrer? (Ele riu-se e disse-me que disto, não.)

Mais tarde, já eu depois da alta, no consultório dele e quando se oficializou o diagnóstico, o mesmo médico - que adorei by the way - falou-me que a EM era, entre outras coisas, aquela altura da vida em que nos confrontamos com a mortalidade.

A EM é o envelhecimento precoce de um corpo. Pode acontecer que aos 30 lidamos com dificuldades com o corpo e com a cabeça que normalmente acontece aos 60. E depois aos 40, com o que acontece aos 80.

Não quer dizer necessariamente que vivemos menos, mas enevelhecemos mais cedo. E isto leva-nos a lidar com o nosso fim precocemente. Não é maravilhoso, não. Mas, ao mesmo tempo, para mim, foi.

Não sei se será o mesmo que me terem dito que vou morrer daqui a 6 meses pois felizmente isso não aconteceu mas, fez-me lidar com uma verdade em que estaria velha ainda nova. E velha poderá significar começar a ter dificuldades em andar, esquecer-me de coisas, não conseguir dançar, precisar de ajuda a tomar banho... tanta coisa que normalmente reconhecemos nos avós.

É um pouco deprimente, pois é mas, felizmente, de alguma forma, para mim fez-me querer viver mais presentemente e satisfatóriamente a vida.

É que hoje tenho 39 anos mas daqui a 10 posso ter 60 - eu sei, contas tramadas.

Pois bem, então, há sempre um momento do meu dia em que eu paro, olho, analiso e penso:
- não é maravilhoso estar aqui agora tal como estou?
- mas a vida tem tristeza, doença, desafios, desilusões...
- sim, mas não é óptimo poder gozar e estar nisso tudo? mesmo naquilo que é menos bom? É que para não viver isso tudo, para evitar desafios, tristezas, desilusões (tanto como alegrias, loucuras, amor,...), só morrendo. E eu não estou preparada para ir embora. Isto é bom demais. Não é?

Prefiro envelhecer.